sábado, 11 de dezembro de 2010

Não, eu não vou falar de Assange

Só sei que nada sei, porque não se acha mais quem sabia.— Juca Chaves

Eu prometo que não vou falar nada em apoio ou em crítica ao Julian Assange. Silenciarei minha opinião sobre ele e seus atos com todo o cuidado que possa ter. Digo isso porque já há gente demais falando sobre isso e temo que em alguns casos elas não possam ser encontradas para esclarecer o que já disseram.

Só posso dizer que há alguns meses, numa conversa informal com amigos, discutíamos, à luz da controvérsia entre o Google e o governo da China continental (aquela que um dia chamávamos de «comunista»), como poderia ser um mundo em que aquele país seria hegemônico, em vez dos EUA. Acredito que não precisamos mais ficar na total ignorância: sob muitos aspectos, esse mudo seria assim.